fale com a gente:

Kayusca

Kayusca

Loading...

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Rolamento com hesitação

A única diferença entre este rolamento e o rolamento esquimó normal é o seu ritmo. No rolamento normal você se posiciona e assim que a pá de apoio alcança a superfície da água você rola. No rolamento com hesitação você se posiciona e espera um tempo, até que as condições da água fiquem favoráveis...
então você rola. O rolamento com hesitação é mais útil em refluxos, seqüências de ondas, e águas turbulentas. Por exemplo, quando você vira num refluxo normalmente é melhor ficar virado até que saia das borbulhas. Quando você atingir a água menos aerada (sem bolhas) você rola.
Em seqüências de grandes ondas o melhor a fazer é rolar nas costas das ondas, assim você vai estar estável e pronto para apoiar quando atingir a crista...
rolamento-hesitacao2
Enquanto você estiver suspenso virado para baixo, vai estar muita estável. Se prestar atenção será capaz de sentir a cadencia da seqüência de ondas, vala – parede – crista – costas - vala. Quando você pegar o tempo, espere pela crista para começar a rolar. Se tiver sorte vai estar para cima nas costas da onda onde a água é ligeiramente mais lenta e mais “sólida”. Se você estiver virado para cima na vala, estará pronto para quebrar a crista.
Outra vantagem do rolamento com hesitação é que você não precisa se preocupar em rolar apenas no seu lado rio abaixo... Se você vira em uma correnteza rápida e imediatamente tenta rolar no seu lado rio acima, a pá de apoio será apanhada pelo fluxo rio abaixo e lhe empurrará para baixo!

Um comentário:

  1. Se me perguntarem qual o rolamento que faço em agua parada, vou lhes dizer que é o C to C ou o esquimó! Mas quando viro em uma corredeira, não sei se uso algum dos dois citados! Lendo a postagem acima eu descobri que faço o rolamento com hesitação, pois quando tombo fico virado esperando uma pressão na pá do remo onde eu consiga um apoio para rolar! Um amigo canoista chamado Carlos Orth me disse uma vez que quando eu estivesse tombado e preso num refluxo o melhor seria nem tentar rolar e sim estender meus braços em direção ao fundo e tentar alcançar a corrente que passa por baixo do refluxo, e assim ter pressão para escapar do mesmo! Ja fiquei preso em alguns refluxos e utilizei esta estrategia com sucesso! Outra coisa importante que aprendi com o amigo Hugo Mariano foi que estou mais seguro dentro do barco do que fora dele, por isso faço de tudo para não ejetar e aguardo a hora certa de rolar!

    ResponderExcluir

De a sua opinião, fique à vontade.